Pesquisar

Formulário de procura

 
1 entrada / 0 new
Entes queridos que já morreram

Sonhei que dirigia por uma estrada bem asfaltada, com muitas curvas em um dia ensolarado, com poucas nuvens no céu, de repente a minha esquerda surge uma linda lagoa azul, à beira da estrada, no sonho eu a chamei de lagoa dos quadros. Mesmo nome de uma lagoa de uma cidade onde morei a muito tempo, a estrada era similar a que leva até a cidade onde tem a tal lagoa.
Seguindo por essa estrada eu não estava indo para a cidade da lagoa dos quadros, no sonho eu queria chegar até uma outra cidade, uma que vivi quando muito criança, no caminho avistei um lindo arco-íres.
Havia um pouquinho de nuvens no céu, assim como se estivesse abrindo um sol após a chuva, o dia era muito iluminado, me chamou atenção durante o sonho que o arco-íres formava um arco em um sentido, com as cores bem intensas, e outro arco, com cores mais brandas no sentido contrário através das nuvens brancas e esparsas, como se algo tivesse pego as cores dele e tingido de leve aquelas nuvens.
Então eu vi que o motivo disso eram cinco aviões F-5 da força aérea brasileira voando em formação de “V”. (atualmente eu trabalho em uma empresa que produz tecnologia militar, principalmente aviônica, e que foi responsável pela modernização deste avião, o F-5.)
Segui andando quando o asfalto acabou, e eu cheguei em uma bifurcação, então perguntei para alguém qual o caminho deveria pegar para chegar até onde eu queria, a pessoa me indicou o caminho certo, muito amistosamente.
Segui por este caminho e avistei um lindo cão labrador preto, passei pelo cão que também era amistoso, e fez eu me lembrar que sempre tive vontade de ter um labrador. (Quando era criança tive um labrador que morreu quando filhote, atropelado pelo meu Pai, quando este entrava no pátio de casa de carro)
Continuando eu cheguei em uma estrada de chão batido, a terra parecia úmida, como que recém tivesse chovido, árvores cobriam o sol sobre a estrada formando um túnel verde.
(Quando eu era criança, e ia pra praia, sempre passava por uma estrada coberta de árvores que formavam um túnel verde, e inclusive, o nome do trecho dessa estrada é “túnel verde”.)
Bom, enfim cheguei a frente de uma casa, atravessei o portão, passei por uma espécie de calçamento, estava um pouco alagado, e eu me exprimi pra não molhar os pés, me segurei em uma espécie de corrimão branco, o sol brilhava sempre, mas a aparência do lugar era de que havia chovido bastante ali, quando cheguei lá, o tempo estava com cara de fim de tarde, o sol provocava nas nuvens um efeito alaranjado no céu, estava muito bonito, eu sentia um paz muito grande durante todo o caminho, estava feliz mas não sabia bem porque, então bati na porta da casa.
Uma moça me atendeu, eu a cumprimentei pois a conhecia a muitos anos, mas não conseguia me lembrar o nome dela, até na hora pense que minha mãe ia gostar de saber que tinha visto aquela pessoa e que ela esta bem, eu suspeito que era uma pessoa já morta que eu devo ter conhecido quando criança.
(Bem eu sempre tive dificuldade pra lembrar o nome das pessoas, mas nunca esqueço um rosto)
Para a minha surpresa logo que entro na casa dou de cara com a minha bisavó, falecida em 2005, pessoa pela qual possuo um enorme carinho, cumprimentei ela com entusiasmo e alegria, sempre a chamei de Vó, e desta vez não foi diferente.
Agradeci a moça que estava na casa com ela, disse que ela cuidava muito bem da minha Bisa, fiquei feliz, fui ao banheiro passar uma água nas mãos, me sentei a mesa com minha Bisa e a moça que eu conhecia mas não lembrava o nome, tomei café com leite com elas e comi algumas coisas com um gosto caseiro, um sabor característico da minha infância.
Infelizmente não consigo me lembrar direito o que conversamos, mas me lembro que na noite anterior ao sonho eu me acordei e me lembrei de ter sonhado que dirigia por uma estrada em um dia ensolarado, é como se o sonho tivesse se repetindo.