Pesquisar

Formulário de procura

 

O que é a apneia do sono?

Sem uma boa noite de sono é simplesmente impossível viver bem durante o dia. Diversas vezes, após levantar-se fadigado, o indivíduo diminui potencialmente sua capacidade diária devido ao cansaço. Apesar de ser um fato que eventualmente ocorre, é preciso saber distinguir quando o processo de sono está comprometido.

O que é a apneia do sono?

A Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono é uma doença responsável pela interrupção momentânea da respiração durante o período de sono, causada pela obstrução das vias respiratórias. Os sintomas caracterizam-se por paradas de no mínimo 10 segundos no fluxo de oxigênio, até cinco vezes por noite, provocando uma imediata reação cerebral que desperta o indivíduo com o intuito de evitar a morte por asfixia.

A interrupção contínua do sono REM – a fase mais profunda do sono que é delimitada principalmente pelos momentos de sonhos – provoca danos significativos no organismo. Ainda que potencialmente avassalador, não é um quadro clínico muito óbvio pelo fato de que, muitas vezes, quem passa pelos períodos de despertar contínuo confunde as ocorrências com sonhos, transformando as crises ocasionadas na responsável por acarretar outras doenças graves e sérios distúrbios comportamentais sem que ao menos se saiba o que os desencadeou.

Fatores de ocorrência da apneia do sono

Muitos são os indivíduos que possuem apneia do sono e não conseguem detectá-la, devido à doença ser observada por terceiros durante o sono de quem sofre pela patologia. Os principais fatores de ocorrência são:

  1. Idade: predominantemente a partir dos 35 anos, mais frequentemente em idosos. Por questões fisiológicas, crianças e jovens também podem sofrer de apneia do sono.
  2. Obesidade: o excesso de peso acumula inadequadamente a gordura em vias aéreas que necessitariam de maior espaço para o fluxo de oxigênio.
  3. Estreitamento das vias aéreas: algumas vias aéreas são mais estreitas e causam a obstrução. Faringes, amígdalas e adenoides em tamanho irregular; e línguas e pescoços mais compridos do que o normal podem levar ao bloqueio das vias aéreas.
  4. Relaxamento excessivo dos músculos: o uso de medicamentos como soníferos e antidepressivos, álcool e tabaco, antes de adormecer, podem provocar o excesso de descanso dos músculos.

Tratamentos aplicados a apneia do sono

O indivíduo que sofre de apneia do sono deve procurar ajuda médica de endocrinologistas e psiquiatras, os quais possuem especializações adequadas para diagnosticar as doenças relacionadas com o sono. Em seguida, será realizado o exame de polissonografia, que é o mais indicado para diagnosticar a apneia, pois consiste num estudo biofisiológico a fim de determinar as possíveis causas do sono inquieto e aplicar um tratamento, que pode ser:

O uso do aparelho CPAP: o CPAP – Continuous Positive Airway Pressure, em português “Pressão positiva contínua nas vias aéreas” – é uma máscara de pressão que é utilizada via nasal para a desobstrução das vias aéreas. Este é o tratamento mais indicado para a apneia e seu uso é diário por tempo a ser determinado pelo médico.

Cirurgias: os procedimentos cirúrgicos na face, traqueia e tecidos da garganta são indicados em casos de apneia grave. No entanto, alguns especialistas discordam da utilização de determinados procedimentos para a regulação da apneia. É sempre construtivo ouvir mais de uma opinião em casos cirúrgicos, a fim de determinar a real necessidade de uma cirurgia.

Gostou deste artigo?: